Escapamentos. Eis o mistério!

Os escapamentos atualmente na F1 têm sido motivos de várias discussões entres as equipes, e entre as próprias equipes com a FIA. Até hoje particularmente, não se sabe o que decidiram, e isso se decidirão. Mas como esses artifícios têm sido motivo para tantas intrigas?

A função do escapamento de qualquer carro, tanto dos carros de ruas como dos carros de corrida, é colocar os gases resultantes do trabalho do motor para fora. Ainda mais nos carro de corrida, especificamente na F1, onde os motores trabalham muito fortes, esses cases são cuidadosamente trabalhados para serem eliminados de forma eficaz.

Por muito tempo, os escapamentos dos F1s foram tratados de forma muito parecida entre as equipes. Durante os anos 2000, os mesmos eram apenas “soltos” por cima da carenagem.

Mas isso começou a mudar em 2009, quando os carros da F1 passaram por uma grande reformulação, e a importância da aerodinâmica como sempre, ficou mais evidente ainda. Então o jeito foi arrumar algum cantinho para os escapamentos. A Ferrari foi muito criticada quando laçou seu modelo em 2009, devido à posição do seu artifício.

Mas neste ano, o que mais tem causado “pane” nas transmissões e nos telespectadores, é o tal do escapamento aerodinâmico, escapamento soprado; entenda do jeito que quiser, pois a peça é a mesma.

O tal escapamento se destacou no carro da Red Bull, mas no início do ano, na apresentação do modelo, o RB7 parece não contar com essa solução efetivamente. Talvez pudesse ter algo parecido, e o aperfeiçoaram ao longo dos pré-temporada. O único relado que tenho é do tal artifício para o GP da Austrália.

Na apresentação

Na Austrália

 Apenas para destacar, em meus projetos como “futuro Newey” da F1, fiz um esboço de um carro, cujo parte de escapamento do carro sai no difusor. Eu pensei: Se sair nesta parte do carro, a pressão aqui atrás será maior; fora ajudar na aerodinâmica do carro. Vocês podem conferir no post aqui, do dia 10 de fevereiro, como na imagem abaixo:

A pressão que sai do motor vai direto para a parte do difusor do bólido; que popularmente é onde se “puxa o ar” da parte debaixo do carro, e o faz dar essa pressão a mais, rendendo mais aderência ao carro. E no sistema do tal do “motor cheio”, essa força a mais era eminente; e o ganho em aderência na parte traseira – uma das mais importantes do carro – ficava claro.

Mas agora, como que um carro fica “acelerado”, sem estar com o pé no acelerador, numa curva, e sem dar força para as rodas girarem? Só pode ter alguma coisa errada! Só na F1 para tais coisas acontecerem. E o mistério não estar na peça escapamento, mas sim nos gases que saem do motor, seja de forma simples, ou na forma “artificial” digamos assim.

Vamos ver o que realmente será decidido, isso é se decidirem alguma coisa. E espero que tenham gostado da minha tentativa de explicação!

Anúncios

2 comentários em “Escapamentos. Eis o mistério!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s